Cuidado com os Manipuladores


Encontram-se espalhados por todo o lado; no trabalho, na família, nos amigos, na mulher ou no marido e, embora não chupem o sangue à vítima, são capazes de retirar-lhes a energia e destruir-lhes a vida. Como? Cativando-a, absorvendo-a e condicionando-lhe os comportamentos. De tal modo que a pessoa chega a perder a vontade própria, as suas convicções e, muitas vezes, até os seus valores. Mas tudo é feito de modo subtil e de acordo com uma estratégia específica…


Normalmente as pessoas manipuladoras apresentam uma grande lacuna de afeto. Acham-se o máximo e, agem como tal para camuflar uma grande pobreza interior. Apresentam um bloqueio face à tristeza e ao que os faz sofrer. Os manipuladores apresentam também, um grande desejo de valorização narcísica e têm necessidade de subjugar todos os outros aos seus caprichos. Mostram que são eles que controlam e não se sentem minimamente culpados das suas atitudes.

Normalmente têm uma abordagem fácil e simpática, de maneira a cativarem os outros. Além disso gostam de se colocar na posição de vítimas. Costumam pensar que sabem tudo sobre a vida da outra pessoa, isto, porque no fundo, são bastante menos inteligentes do que aquilo que pensam.
São pessoas extremamente possessivas e controladoras e, por isso, limitam a atuação do outro.
Numa relação a dois, por exemplo, quando um deles começa a sentir que a sua liberdade pessoal está a ser afetada, é porque algo vai mal na relação. O problema é que nem sempre toda a gente desenvolve o conceito de “liberdade pessoal”.
As pessoas que sofrem limitações quanto à sua independência, são mais manipuláveis, devido ao fato de não estarem habituadas a fazerem as suas próprias opções, tomarem decisões, a ter amigos e vida próprias e, em última instância a pensar em si próprias.
A sociedade atual e o respectivo ritmo de vida, privilegia o aparecimento de comportamentos manipulativos. As pessoas acabam por se afastar umas das outras, contudo não deixam de sentir uma grande necessidade de se socializarem.
A sociedade desresponsabiliza as pessoas manipuladoras e, na verdade, para existir um manipulador, tem de haver sempre quem se deixe manipular. A sociedade aceita os manipuladores, não os condena, por isso eles voltam a manipular.

Existem diversas formas de manipular, vamos ver algumas das mais frequentes:

MANIPULAR PELA TRISTEZA
Alegam estar num contínuo estado de dor ou de depressão que ninguém compreende, acabando por contagiar com a sua tristeza, aqueles que se encontram mais próximos. Quando não conseguem algo, entram em uma profunda tristeza que atribuem à dores físicas ou mentais (medicamente impossíveis de serem provados) com a intenção de tornarem-se o centro das atenções.

DESQUALIFICAM TODA AGENTE
Desqualificam não só quem está por perto, mas martirizam a vítima, de modo a deixarem-na numa posição de inferioridade. Assim, é fácil conseguirem uma posição de destaque e serem bem vistos.

PIADINHAS SARCÁSTICAS
Utilizam com frequência comentários e piadas sarcásticas que acabam por ser desagradáveis para quem é alvo delas.
Criam uma imagem falaciosa da vítima devido aos seus comentários.
Por exemplo, se alguém estiver sempre a dizer que o outro é idiota, quem ouve, acaba por acreditar, ainda que não seja verdade.

ACHAM QUE CONHECEM PERFEITAMENTE A VITIMA
Dedicam-se a estudar meticulosamente o comportamento das outras pessoas, considerando-se aptos para adivinhar os pensamentos e criticar a forma de vida dos outros, que na verdade desconhecem. Gabam-se de sua inteligência sem experiência, estudam comportamentos e técnicas mentais e consideram-se aptos a aconselhar e criticar mesmo sem nenhuma experiência no assunto.

GOSTAM DE CHEGAR SEMPRE EM PRIMEIRO
Por vezes utilizam a arrogância para acabar com os outros. O objectivo é fazer com que os outros se sintam tolos, enquanto eles passam por espertos. Gostam de se antecipar para assim se destacarem.

CULPABILIZAM OS OUTROS
Pedem com frequência favores, mesmo que estes pressuponham um esforço bastante grande para a outra pessoa. Quando os outros não cedem aos seus pedidos, reagem de modo a fazê-los sentirem-se culpados. É através deste comportamento que normalmente conseguem o que querem.

Nesta última parte podemos ver algumas das consequências que o ato de manipular pode provocar nas vitimas:

O ISOLAMENTO DA VÍTIMA
A subtileza do agressor é tal que as pessoas que o rodeiam não percebem de que este está a manipular alguém. A vítima encontra-se completamente isolada e costuma aceitar continuar a defender o manipulador, para que a situação não se torne pior.

A ACEITAÇÃO DA VÍTIMA
Os pequenos actos, ainda que perversos, acabam por parecer normais. A vítima não costuma dar-lhes grande importância e o agressor torna-se cada vez mais dominador.

A DESORIENTAÇÃO DA VÍTIMA
O domínio do agressor provoca no agredido um estado de confusão. Quando se apercebe da situação a pessoa não sabe o que fazer, se deve ou não expor publicamente o ocorrido.

A ANSIEDADE DA VÍTIMA
A submissão a que a vitima se sujeita, obriga-a a estar num permanente estado de alerta, o que provoca o acumular de tensão, assim como um estado de ansiedade. Quando não resolvida a situação acaba por originar o aparecimento de diversos sintomas psicossomáticos.


"Um homem de sentimentos esgotados tem como único prazer martirizar os outros seres humanos". (Selma Lagerlõf)

- extraído -
fonte: http://blogdeumadesconhecida.blogspot.com/

interessante no mesmo blog o artigo "Vontades Próprias":


Share/Bookmark

1 comments:

Gabriela June 28, 2011 at 7:34 PM  

Olá já estou seguindo seu blog gostei muito. fique na paz do Senhor Jesus. abraços
www.blogandodemadrugada.blogspot.com

Twitpic

As melhores frases do Twitter (na minha opinião...)

Total Pageviews

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP